31/12/2013

CARNAVAL - A PARÁBOLA DO PEIXE E DA MINHOCA


Conta-se a história de um peixe que nadava sossegado no fundo do rio. Qual não foi a sua surpresa quando uma minhoca muito atraente apareceu de repente à sua frente.

- "Minhocas não nadam" pensou ele.

Atraído pelo movimento da minhoca o senhor peixe resolveu abocanhá-la. E num pulo só, vapt, a minhoca estava na sua boca.

- "Ui! O que é isto?" pensou o peixe ao sentir alguma coisa espetar a sua boca. Qual não foi a sua surpresa ao descobrir um anzol fisgado à sua boca. Desesperado, o peixe falou:

- "Como pode uma minhoca tão gostosa vir acompanhada por um anzol!!"

Moral da história:O peixe abocanhou a minhoca apetitosa mas descobriu que estava com a boca cheia de morte!

Já faz muito tempo que a Igreja Católica Apostólica Romana determinou que os 40 dias que antecedem a Páscoa deveriam ser dedicados à preparação espiritual - jejum, orações etc. - da celebração da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Já que durante a quaresma não era permitida a realização de bailes, banquetes ou qualquer outro tipo de festa, as pessoas começaram a concentrar nos dias que a antecediam todas as festas do período. Tudo era tolerado desde que a pessoa na quarta-feira de cinzas fosse à igreja pedir perdão.

Esta situação, somada à cultura africana dos escravos, resultou no que conhecemos como carnaval - um misto de folclore afro-brasileiro e extravagâncias. O aspecto do folclore é admirável e conta parte da identidade do povo brasileiro. A falsa idéia de "aproveitar a vida antes da quaresma" é que faz com que durante este período pessoas se embebedem, se droguem, se prostituam, traiam e criem um ambiente de permissividade inigualável.

A grande dificuldade é que as leis físicas não reconhecem este período em que "tudo é permitido", então muitos morrem de overdose, atropelados por bêbados, em acidentes de carro, jovens ficam grávidas, etc. Tão pouco as leis morais não desaparecem e aquela jovem que foi usada fisicamente sofre problemas de auto-estima, aquele que roubou vai para a cadeia e a culpa por causar acidentes, até com morte, lateja na mente do responsável.

As leis espirituais também não são abolidas durante o carnaval. Deus não se agrada do pecado de imoralidade, irresponsabilidade, egoísmo etc. Aqueles que vivem assim sofrem com a culpa, remorso, afastamento de Deus.

Felizmente estas mesmas leis espirituais garantem que:

Não existe pecado tão grande que não possa ser perdoado desde que haja arrependimento verdadeiro. O perdão de Deus está sempre à disposição de todo aquele que O busca com sinceridade. Busque a Deus agora com uma prece sincera!

Deus tem poder até para fazer com que as conseqüências difíceis do seu pecado sejam usadas para tornar você uma pessoa melhor. Arrepender-se é reconhecer o erro desejando mudar. O Pai Celeste está disposto a perdoar e ajudá-lo a viver uma nova vida. Busque a Deus agora com um coração arrependido e viva uma nova vida!

Se a "Parábola do peixe e da minhoca" fala da sua experiência pessoal, veja o que Jesus tem a lhe dizer:


"Venham a mim, todos vocês que estão cansados de carregar as suas pesadas cargas, e eu lhes darei descanso. Sejam meus seguidores e aprendam de mim porque sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso."


Autor: L. Roberto Silvado