23/03/2014

ALERTA DE SEDE E FOME


Em todo tempo, desde a criação, o que se vê é uma humanidade em busca de saciedade. A alma é insaciável. Sempre quer se fartar, como a sanguessuga que nunca se farta. Paulo chama esta sede efome de concupiscências da carne, que são desejos, cobiças por algo, alguém, alguma coisa que venha a satisfazer o ser.

O Evangelho é a verdade de Jesus que conhece o interior dos nossos corações, esquadrinha nossa sede e
fome e a reconhece como sendo imensa. Sabe que as nossas almas estão cansadas vivendo em busca da saciedade e diz:

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e
oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve”. (Mat. 11:28-30).

Por vivermos assim, sempre em busca de algo que nos traga Paz e Segurança é que nos lançamos nas empreitas da vida por um futuro melhor. Muitos trabalham incansavelmente; uma vida inteira para ter a certeza de que no final encontrarão uma velhice de Paz e Segurança, pois comeram, beberam, compraram, venderam, plantaram e edificaram (Luc. 17:28) para que assim fosse. A cerca disso Jesus disse:

“Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração”. (Mt. 6:19-21)

Outros trabalham para beber, comer e se casar, pois o dia de amanhã a Deus pertence e não querem antecipá-lo, pois cada dia basta o seu mau e a cerca disto o Evangelho diz:

“Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que me buscais, não porque vistes sinais, mas porque comestes do pão e vos saciastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo”. (Jo. 6:26-27).

“Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?” (Mt. 6:25)

“Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus”. (Fil. 4:6-7)


Ou seja, até os mais esclarecidos quanto à verdade do Evangelho sucumbem ante a sede e fome, para a saciarem de alguma forma com as demais coisas enquanto o Reino de Deus não é o alimento para alma.

A cerca disso Jesus disse:
“Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como pode este dar-nos a sua carne a comer? Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia”. (Jo. 6:51-54).

A partir daqui, alguns menos avisados, dizem que estão comendo do corpo e bebendo do sangue quando uma vez por mês eles fazem um ritual chamado “Santa Ceia”. O fato é que Jesus não está falando de ceia no texto acima, muito menos de um ritual mensal. Ele está fazendo a comparação com o comer e beber do povo no deserto diariamente por quarenta anos! Em seguida Ele diz:

“Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é como o caso de vossos pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre”.

Veja o que acontece quando dizemos às pessoas que o Verbo (Palavra) encarnado está na Bíblia e que a Bíblia é a fonte de alimento para todo aquele que quer viver eternamente:

“Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Mas, sabendo Jesus em si mesmo que murmuravam disto os seus discípulos, disse-lhes: Isto vos escandaliza? Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde primeiro estava? O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida”. (Jo. 6:60-63).

É claro que Jesus não faz convite para sermos canibais de homens, mas para sermos alimentados por seu espírito e vida. Ele diz: “As minhas palavras são espírito e vida”.
O homem só vai entender isto quando Jesus se tornar para ele “espírito e vida”, como um alimento diário de consumo, como quem faz refeição pela manhã e pela tarde, como aquele que encontra o lugar de saciedade nas Palavras do Evangelho. Mas para que isto aconteça, primeiro Deus tem que imprimir no ser humano o Seu sêlo: o Espírito Santo. Sem o Espírito Santo ninguém é levado à mesa do banquete celestial. Sem Espírito Santo ninguém consegue transformar letra em espírito e vida. A leitura da Bíblia sem revelação do Espírito Santo pode matar, enquanto a Palavra revelada pode vivificar. (1Cor. 3:4-6)

O que queremos dizer com tudo isto?


É simples. Você já conseguiu saciar a sua sede e fome? Ainda é um ser correndo dia a dia atrás de maná do Céu (bênçãos) e ainda não encontrou o Pão da Vida (Jesus)?

O tempo você o tem, a eternidade Deus a tem, use o que você tem para encontrar o que Deus tem, pois:

“Pelo que eu vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; pois todo o que pede, recebe; e quem busca acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á. E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” (Luc. 11:9-13)

Só espero que quem esteja lendo este ensino não seja comparado ao que disse Jesus:

“Não deis aos cães o que é santo, nem lanceis aos porcos as vossas pérolas, para não acontecer que as calquem aos pés e, voltando-se, vos despedacem”. (Mat. 7:6).


fonte: estudos gospel
recebido por email