29/12/2013

UMA DISPUTA INSANA


Tema: Marcos 9.34

“Os discípulos calaram-se; porque pelo caminho tinham disputado entre si qual era o maior”

Introdução: Ao observarmos em nossa volta veremos uma crescente competição em todos os segmentos sociais, sendo que; dentro destes inumeráveis segmentos estamos nós a Igreja de Jesus Cristo. E como não bastassem as competições e rivalidades externas, tem se enxergado que a Igreja de Jesus Cristo dentro de seus próprios departamentos luta entre si em uma luta tão acirrada que até a alegria de estarmos em Deus por nosso Salvador Jesus é esquecida, e não somente isto; esquecemo-nos que somos um só corpo, nos esquecemos que somos uma família, nos esquecemos que na família existem grandes e pequenos, e que existem fortes e fracos e que o cerne de tudo isto; é a ajuda mutua e a união, pois, diz: "E os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários" (1 Coríntios 12:22), e ainda diz: “Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos.” (Romanos cap 15 v 1). Logo queridos não há competição! Isto vem de uma sociedade desprovida das verdades divinas, isto é ideologia mundana, é maligno, isto arranca de nós a alegria de sermos Salvos em Deus Jesus, isto é vírus que vai minando até destruir todas as resistências e matar o individuo. Logo, é sobre este tema que com a ajuda de Deus e por seu Espírito Santo desejo falar-lhes, não com verdades humanas, mas com as verdades reveladas nas Sagradas Escrituras.


ESBOÇO:• JESUS ABORRECE A COMPETIÇÃO
• DEUS É O MAIOR EXEMPLO DO SERVIR AOS HOMENS
• JESUS CRISTO E O ESTIMULO DO INDIVIDUO
• O NOSSO COMPROMISSO
• CONCLUSÃO


• JESUS ABORRECE A COMPETIÇÃOMarcos cap 9 v 34

“Os discípulos calaram-se; porque pelo caminho tinham disputado entre si qual era o maior”


- Disputavam entre siNotemos que a questão da competição já era cultivada pelos discípulos, todavia, isto não nasceu em Deus, e nem é uma dádiva divina para humanidade, como muitos pensam, pois, o final de uma competição por mais leve que ela seja, será uns rindo outros chorando, será uns no pódio como vencedores e outros como perdedores. Isto meus queridos nasceu no coração de homens cheios de si, que desejam se mostrarem superior aos demais e não somente isto; mas serem honrados e servidos a qualquer preço. Todavia, bastará olharmos para o que o Senhor disse aos discípulos e veremos o que está no coração de Deus Jesus: “E ele, assentando-se, chamou os doze, e disse-lhes: Se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o servo de todos” (Marcos cap 9 v 35). Esperem! Aos olhos de Deus o maior é aquele que serve aos seus semelhantes e seu titulo será o serviçal, ou seja, aquele que fica por ultimo.

Reflitamos nisto por um estante: o serviçal que realmente está preocupado em servir os convidados de seu Senhor, (Deus é o Senhor), jamais desejará assentar na mesa sem que todos já estejam assentados, ele jamais se preocupará em comer sem ter primeiro a certeza que todos comeram, ele não se cobrirá do frio, sem que antes se certifique que todos os convidados estejam protegidos do frio, o serviçal só entrará na casa depois que todos já tiverem entrado em suma ele sempre será o ultimo para que os outros sejam o primeiro. Logo, queridos o Senhor Jesus disse aos seus discípulos: Vocês querem ser grandes aos meus olhos? Vocês querem a minha aprovação? Então passem a servir uns aos outros, pois para isto eu vos escolhi. E para que aquele ensino ficasse em seus corações de uma maneira solida, o Mestre fez menção pratica de suas palavras ao tomar um menino e colocá-lo em evidencia entre eles dizendo-lhes: “Qualquer que receber um destes meninos em meu nome, a mim me recebe; e qualquer que a mim me receber, recebe, não a mim, mas ao que me enviou.” (Marcos 9:36-37).

A questão é; porque Jesus usou uma criança? Ele usou uma criança para fazer um paradoxo entre eles, ou seja, o que sabe esta criança perto de vocês? Quais são suas experiências de vida perto de tudo que vocês já viveram? Não é obvio que ela não pode ser maior que vocês; todavia, quem a receber em meu nome, recebe a mim, e quem a mim recebe, recebe ao meu Pai que me enviou. Portanto se comportem como uma criança, não queira fazer de vos mesmos pessoas capazes ou mais honradas que qualquer outra, pois, todo aquele que leva o meu nome independente de possuir qualquer experiência pessoal, será honrado por isto. Logo amados o descumprimento desta direção divina dita por nosso Senhor Jesus, nos levará a rivalidade e conseqüentemente a divisão, haverá partidos entre nós, não pensaremos mais no todo, isto é; no corpo de Cristo que é Igreja de Deus, e se a Igreja sofre especialmente seus membros mais frágeis como diremos; somos felizes em Cristo! Se Dele não temos a aprovação, ou será que sentiremos a alegria da Salvação em nós? Pois esta suposta felicidade é humana, não vem de Deus, é um sentimento mentiroso e falso, pois, não pode haver felicidade em uma casa onde alguns são honrados e muitos são desprezados, onde os que foram chamados para se destacar como serviçais, ou seja, os denominados: Apóstolos, pastores, doutores, bispo e tantos outros títulos, preferem serem servidos a servir alguém, preferem comer primeiro, entrar primeiro e nunca ficar por ultimo. Se isto é felicidade, não para a Igreja de Deus e muito menos para o Senhor da Igreja, pois, diz: “Não entristeça o Espírito de Deus” (Efésios cap 4 v 30). Mas está questão está longe de terminar, pois a palavra de Deus revela que esta disputa insana, tem seu inicio dentro de casa, na educação familiar onde de geração a gerações somos ensinados a só pensar em nós e nunca no próximo, acompanhem!


- O incentivo da disputa insana vem da famíliaMateus cap 20 v 21-22

“Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido. E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino.”

Amados, não está claro que as declarações da mãe dos apóstolos João e Tiago, são iguais as nossas. Pois, é exatamente isto que sempre queremos para aos nossos filhos, sem ao menos nos importarmos com as demais pessoas, que neste caso, são os outros dez discípulos que como João e Tiago, também, foram escolhidos. Mas não é só isto que podemos ver, pois, aquela mulher estava querendo persuadir o Senhor Jesus, a mudar ordens celestiais estabelecidas por Deus o Pai “Coloque um a direita e o outro a esquerda do seu trono”. Isto é absurdo! Isto é loucura! Pois, o que esta mulher ou qualquer um de nós sabemos das leis celestiais? Visto, que nem as próprias leis terrenas nós temos o domínio. Está é prova viva que uma disputa insana cultivada por gerações, fará de nós arrogantes, presunçosos, amantes de si mesmo que não se importar com os homens e nem com Deus.

Mas, para a alegria do todo, ou seja, a Igreja que é o corpo de Cristo; nós enxergamos o Mestre dizer a mulher: “Você não sabe o que está pedindo” (Mateus cap 20 v 22), e de fato ela não sabia e nem nós sabemos, e continuou o mestre a dizer; “O colocar alguém a direita do trono, pertence aqueles que meu Pai tem preparado” (Mateus cap 20 v 23). Prestemos a devida atenção às palavras do Salvador, pois, diz:

- Pertence, Já é;
- Aqueles; Será uma surpresa;
- O meu Pai tem preparado; Deus já definiu e preparou pelo seu eterno saber;

Ao nos dizer tais palavras, o Senhor Jesus revelou leis celestiais, sendo que; estas leis já foram definidas por Deus o Pai, isto é; a honra celestial e no tocante a nós compete esperar, todavia, o Senhor Jesus nos antecipou, que todo aquele que serve a mesa para o meu Pai este é o maior, e aquele que se torna o ultimo para dar a preferência para o próximo, este será o primeiros veja: “Todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal. E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo” (Mateus cap 20 v 26-27).


• DEUS É O MAIOR EXEMPLO DO SERVIR AOS HOMENSQueridos, atentemos para estas coisas, pois Deus o Senhor é o maior exemplo de servir os homens, isto é; na pessoa do Pai, na pessoa do Filho e na pessoa do Espírito Santo. Sobre este fato falou o profeta Isaias: “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu um Deus além de ti que trabalha para aquele que nele espera” (Isaias cap 64 v 4). Agora eu pergunto: Como Deus não exigirá de nós o servir aos homens, visto que Ele próprio nos serve? O Salmista também sobre isto falou observem:

Salmos cap 104 v 10-24
“Tu, que fazes sair as fontes nos vales, as quais correm entre os montes. Dão de beber a todo o animal do campo; os jumentos monteses matam a sua sede. Junto delas as aves do céu terão a sua habitação, cantando entre os ramos. Ele rega os montes desde as suas câmaras; a terra farta-se do fruto das suas obras. Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão, e o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. As árvores do SENHOR fartam-se de seiva, os cedros do Líbano que ele plantou, onde as aves se aninham; quanto à cegonha, a sua casa é nas faias. Os altos montes são para as cabras monteses, e os rochedos são refúgio para os coelhos. Designou a lua para as estações; o sol conhece o seu ocaso. Ordenas a escuridão, e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva. Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento. Nasce o sol e logo se acolhem, e se deitam nos seus covis. Então sai o homem à sua obra e ao seu trabalho, até à tarde. O SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas.”

Vedes quão magníficas são tais obras! Quão grandioso é o serviço de Deus por nós e por toda a natureza. Ou será que fecharemos nossos olhos para todas estas coisas? Será que não veremos as fontes de águas para dar de beber aos animais? Ou será que não veremos as aves do céu se aninhando e encontra abrigo junto a elas? Será que não veremos o capim que Ele fez para o gado? E o que diremos ao que faz em relação ao homem: Fez o vinho para alegrá-lo, fez o azeite para seu rosto ficar mais belo, fez o pão para dar sustento ao seu coração. Sim queridos, os olhos de todos esperam por Deus para terem seu sustento e se apenas por um momento Deus esconder de todos nós o seu rosto ficaremos perturbados e morreremos (Salmos cap 104 v 29).


- Ainda vemos Deus o Pai nos servir ao nos dar seu Filho;“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele” (João cap 3 v 16-17).


- A exemplo do Pai Jesus Cristo sempre nos serviu;“E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.” (João cap 5 v 17). E quando disse aos discípulos:

“Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mateus cap 20 v 28)

- Assim como Pai e ao Filho, o Espírito Santo também serve a Igreja

• O Espírito de Deus ungiu o Senhor Jesus Cristo para servir
“O Espírito do Senhor é sobre mim, Pois que me ungiu para evangelizar os pobres. Enviou-me a curar os quebrantados do coração, A pregar liberdade aos cativos, E restauração da vista aos cegos, A pôr em liberdade os oprimidos e anunciar o ano aceitável do Senhor.” (Lucas 4:18-19).

• O Espírito de Deus é o Consolador que serve no lugar de Cristo
“Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei” (João cap 16 v 7).

• O Espírito de Deus nos serve como o guia para o céu
“Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade” (João 16:13).

• Somos servidos pelo Espírito de Deus ao enfrentarmos as batalhas espirituais
“Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus” (Efésios cap 6 v 17).

•O Espírito de Deus também santifica a Igreja de Cristo
“Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo” (1 Pedro cap 1 v 2).

Queridos, que argumentos nós poderemos ter diante das verdades Sagradas? Pois, está diante de nossos olhos que Deus é o maior servidor dos homens tanto na pessoa do Pai quanto na pessoa do Filho e na pessoa do Santo Espírito e se Ele que é o maior nos serve; o que Ele espera de nós, senão que venhamos servir uns aos outros ou negaremos o seu exemplo veja:

“Jesus levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se. Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar com a toalha com que estava cingido” (João cap 13 v 4-5). E após lavar os pés dos discípulos lhes disse: “Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também” (João cap 13 v 14-15). A voz de Deus Jesus é imperativa “Como eu fiz façais vos também” Ele não está dizendo: se porventura vocês conseguirem, Ele não está dizendo: aos que se dispuserem, Ele não dizendo quem quiser me imitar, não queridos! Aos discípulos de Jesus Cristos Ele diz: Eu sou Senhor e Mestre e lavei os vossos pés, agora ao meu exemplo todos vós fazei igual.


• JESUS CRISTO E O ESTIMULO DO INDIVIDUOAo contrario da rivalidade cultivada por gerações como fruto de uma sociedade egocêntrica e sem Deus acima citado, o Senhor Jesus não usou a rivalidade como forma de estimulo para os discípulos, mas não deixou de estimulá-los, pois usou aquilo que os discípulos já possuíam o qual é; a capacidade individual dada por Deus o Pai a todos os seres humanos, com um único fim, que o de maior capacidade sirva o de menor capacidade. Para tanto o Senhor Jesus contou-lhes uma parábola (Mateus cap 25 v 14-30), para revelar-lhes as verdades acerca de Deus o Pai a seus discípulos, onde o homem da parábola representa Deus que conhece a capacidade individual de cada servo, sendo que Ele (Deus), nunca dará ao seu servo coisa alguma, alem daquilo que ele possa suportar “E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade,” (Mateus cap 25 v 15). E como já era esperado por aquele Senhor, o que recebera cinco talentos que representa uma grande riqueza; foi e trabalhou com aquele dinheiro (ouro ou prata), e ficou com dez talentos e do mesmo modo procedeu aquele que recebera dois talentos (Mateus cap 25 v 16-17). Todavia, aquele que recebera um talento ao invés de trabalhar com aquela riqueza enterrou presumindo que era o melhor que podia fazer para o seu Senhor (Mateus cap 25 v 18).

A hora do acerto de contas; este momento já era esperado e os servos contavam com o retorno do seu amo, e de fato Ele vai voltar (quem lê entenda), como revelou em sua parábola, e nesta ocasião Ele fará chegar os seus servos e exigira de cada um conforme a sua capacidade; nem mais e nem menos. E para alegria dos servos fiéis que não negaram a confiança do seu amo em sua capacidade e provaram para si aquilo que o seu amo já sabia. Entretanto ao servo que recebeu um talento disse: Você é um servo mal, pois, eu confiei em você, eu lhe dei a oportunidade de provar o seu valor, mas no entanto você foi covarde, não se esforçou, não usou as suas habilidade, antes preferiu guardar a riqueza que te dei, se amenos tivesse colocado no banco para render algum lucro. O fato é que aquele servo perdeu o prestigio diante de seu amo, ficou sem talento algum e perdeu sua posição sendo lançado para fora daquele reino. Abro um parêntese aqui; para lhes informar que Deus é o Senhor do corpo e Jesus o seu Filho é o cabeça da Igreja, logo, Ele sabe o lugar de cada um, e também a capacidade de cada um, e quando nos cobra Ele não nos pede nada alem daquilo que podemos lhe dar, pois, sabe as nossas limitações e conhecem o potencial que está em nós visto que; foi Ele quem nos deu o que temos e nos fez como somos. Portanto o estímulo de Deus para nós é o mesmo que fez a Gideão “Vai nesta sua força” (Juízes cap 6. 14), e ao sei servo Josué disse “Esforça-te e tem muito bom animo” (Josué cap 1 v 6;7;9). Queridos diz Deus: Pare de fazer sofrer todo corpo, visto que estamos ligados uns nos outros.


• O NOSSO COMPROMISSOUma vez que vejo Deus o Mestre e Senhor de todas as coisas sendo o exemplo de serviço aos homens! Como me desviarei ou me esquivarei deste compromisso? E se tenho o conhecimento que sou participante do corpo de Jesus Cristo, o qual é a Igreja do Deus vivo, o meu compromisso será atender as necessidades do corpo do qual eu estou ligado. Pois o contrario a esta atitude o fim será: sofrimento, desnutrição e falta de unidade, onde também, haverá partidos entre nós e por fim a divisão. E toda terra dividida é fácil ser conquistada.

Talvez você questione: Será isto possível? A resposta o Senhor Jesus já nos deu quando disse: “As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus.” (Lucas cap 18 v 27). Queridos, a Igreja não é um empreendimento humano, antes é uma obra Divina, e se é Divina está obra alcançará seu alvo o qual é; que todos os membros do corpo se comportem de tal modo que excedam as justiças dos escribas e fariseus “Porque se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.” (Mateus cap 5 v 20). Logo queridos, o Mestre disse que no corpo de Jesus Cristo, não será admitido àqueles que conhecem a verdade tal como os escribas, mas não a vivem; e ainda diz; que neste corpo, não serão admitido fariseus que se julgam religiosos e praticantes da religião, quando na verdade seu alvo é receber louvores dos homens (Mateus cap 6 v 2).

Ao refletir sobre estas coisas, lembrei-me do meu coração (órgão do corpo), que bate entre sessenta a noventa vezes por minuto, bombeando e irrigando todo o meu corpo sem que eu venha me lembrar dele. O interessante desta reflexão é que tanto o meu, quanto o seu trabalha incansavelmente o dia inteiro bombeado a vida em nós sem que nós inúmeras vezes nos lembremos que temos um coração. Entretanto, o coração não para de trabalhar, pois, ele está no corpo, ele não é visto e nem lembrado como seus lindos olhos, ele também não é como a língua que tem a palavra para falar sempre que quiser, e na maioria das vezes fala coisas que não edificam, todavia, o coração não para de bater para que o corpo seja irrigado pela vida. Isto é o corpo humano, onde uma bola de carne tão frágil é capaz de levar vida a todos os órgãos do corpo. E quando Deus através de Paulo comparou a Igreja de Deus como sendo um corpo (1 Coríntios cap 12 v 12-31), ele estava dizendo; o corpo só será corpo se todos os membros pararem de se auto valorizar, e passarem a valorizar o todo do contrario não haverá corpo e se houver será, manco, aleijado, cego, surdo, mudo, ou em estado de morte na UTI (unidade de tratamento intensivo), respirando, ou bombeado o sangue por aparelhos, o que quero dizer com isto: quero dizer que a Igreja de Deus Jesus é capaz de anda, falar, respirar e levar a vida por onde quer que for, sem que venha se ligar a meios terrenos e humanos, para fazer aquilo que ela já nasceu para fazer.

CONCLUSÃO: Venho concluir este assunto fazendo menção das palavras do Senhor Jesus quando orava por seus discípulos e nesta ocasião de oração, registrou o Apostolo João que o Mestre e Senhor, pediu ao Pai pela unidade deles: “Que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João cap 17 v 21). Percebam as palavras do Mestre: “Para que o mundo creia que me enviaste”, ou seja, a nossa unidade é a prova infalível que Jesus o Cristo veio ao mundo. Pois no momento, que os homens sem Deus e sem luz, olharem para nós a Igreja de Jesus Cristo e enxergarem um povo; de diferentes culturas e raças, de diferentes posições sociais, sendo que: uns são ricos e outros pobres, onde uns moram em uma cabana e outros num palácio. Todavia, ambos ligados pelo corpo de Jesus Cristo, e aquele que é rico é visto suprindo a necessidade do pobre, onde aquele que é culto é visto repassando sua sabedoria aos que são faltos dela, onde não há distinção de raças onde o negro e o branco casa-se e formam famílias, onde a rivalidade foi extinta, onde o problema de um é o problema de todos e de igual modo a felicidade de um será a felicidade de todos. Isto não é utopia ou desejo de uma alma faminta pela unidade, mas é real e bastará olharmos para a Igreja primitiva e veremos que não se trata de um sonho, mas um fato ocorrido “E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns.” (Atos cap 4 v 32). O que Deus o Pai, e seu Filho Jesus o Cristo espera de nós, a Igreja do século vinte e um, não é nada menos do que isto: que sejamos um em unidade, onde tudo que somos ou possuímos nos sejam comuns; ó Deus pelo seu Espírito opera esta obra em nós.

 Autor: Ev. Eli Hudson