11/01/2014

A ESSÊNCIA DO PERDÃO


Um dos soldados de Napoleão cometeu um crime e foi condenado a morte.
Na véspera do fuzilamento, a mãe do soldado foi implorar que a vida de seu filho fosse poupada.
– Minha senhora, o que seu filho fez, não merece clemência.
– Eu sei – disse a mãe. – Se merecesse, não seria verdadeiramente um perdão. Perdoar é a capacidade de ir além da vingança ou da justiça.
Ao ouvir estas palavras, Napoleão comutou a pena de morte em exílio.


“Aquele que não pode perdoar, destrói a ponte sobre a qual, ele mesmo deve passar”.


 - George Herbert, poeta inglês