19/01/2014

A IMPORTÂNCIA DA ESCATOLOGIA NA ATUALIDADE


Pois o mesmo Senhor descerá do céu com Grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. I Tessalonicenses 4:16-17

1. Definição A escatologia é a doutrina bíblica que define os acontecimentos finais da história da humanidade tais como se apresentam nos registros da profecia bíblica.
O termo "Escatologia" não aparece na Bíblia. Entretanto é o termo usado para definir o conjunto de ensinos bíblicos relacionados à Segunda Vinda de Cristo a este mundo.
Escatologia vem da língua grega: escatos, que quer dizer últimos, e logia que geralmente é traduzido por estudo (saber). Então, sendo uma palavra agregada uma a outra se tem a definição da idéia geral que é: O ESTUDO DOS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS, como eles aparecem nas Escrituras Sagradas.

2. Uma benção está reservada para o crente que estuda a Escatologia O Senhor Deus preparou uma bênção para os crentes que se dedicam a compreender a doutrina das últimas coisas. Esta benção está intimamente ligada a perseverança, a fé, a capacidade de suportar sofrimentos por amor a Cristo, a alegria e finalmente a esperança, neste caso, uma esperança triunfante.
É difícil ver um crente que estuda essa doutrina que não consagre mais sua vida a Deus. O estudo desta maravilhosa doutrina leva o crente a muitas atitudes especialmente necessárias na atualidade. Como por exemplo:

Seriedade com as coisas espirituais
Afastamento de um estilo de vida duvidoso para um crente
Ardor missionário-evangelístico
Aumento do amor pelos parentes e amigos não-crentes
Profundo respeito a Deus e Sua Palavra

3. Do que trata a doutrina bíblica das últimas coisas A Escatologia trata da doutrina bíblica da Segunda Vinda de Cristo a terra para arrebatar sua Igreja e estabelecer as novas realidades espirituais e físicas neste mundo. E diante desta atenção especial sobre a Volta do Senhor, a Escatologia trata também de doutrinas correlatas ao tema central, tais como:

Sinais dos Tempos - Sinais Mundiais - Sinais Espirituais - Sinais Proféticos
Número da besta
A Grande Tribulação
O Milênio dos salvos
A doutrina dos Julgamentos (do homem, do mundo e do diabo)
O Céu - descanso dos salvos
O Inferno - tormento eterno
A situação dos não salvos na Tribulação e no Milênio
A situação de Israel atual - serão todos salvos? Aceitarão Jesus como Messias?
A doutrina dos anjos
A Setenta Semanas do profeta Daniel
Situação da Igreja na proximidade dos tempos do fim
O que será deste mundo depois da consumação de todas as coisas?

Doutrinas como estas acima, são os alvos do estudo escatológico

4. A Escatologia e seus desafios e cuidados A doutrina das últimas coisas é forte e impressionante. Ela produz interesse profundo em quem se aproxima dela. O crente sentirá um Grande regozijo pelas verdades proféticas das últimas coisas. Por esta alegria causada, a Escatologia deve ser estudada com algumas providências que impedirão erros bíblicos e fé sem entendimento. A Escatologia tem desafios e alguns cuidados. Vejamos:

4.1 Desafios e cuidados
1. Reconhecer, com sinceridade, que há pontos em que não há maiores explicações bíblicas. Há respostas que o Senhor não deixou claramente reveladas, e que o homem não chegou a uma compreensão definitiva. Deste modo devemos aceitar tais pontos pela fé em Deus, que soberanamente possui autoridade justa, e motivos que somente a Ele pertencem, para não responder a tudo que o homem inquire. Devemos compreender que os livros Escatológicos (Apocalipse, Daniel, etc.) foram deixados pelo Senhor com o propósito de crermos nas profecias e não apenas de oferecer respostas ao homem.
2. Evitar a tendência de fixar datas para cumprimentos das profecias bíblicas.
3. Evitar teorias humanas. Elas são apenas raciocínios.
4. Devemos também entender que cada livro da Bíblia possui linguagem própria. Esta compreensão ajuda a entender os vários símbolos e as alegorias usadas na linguagem Escatológica.
5. Finalmente, devemos crer em toda a Escritura tal como ela é. A Bíblia é a Palavra de Deus e isto deve ser suficiente para o crente que estuda a Escatologia. A fé do crente está baseada na inerrância das Escrituras e no fato que Deus é a Verdade a qual devemos seguir.

Quando Será o fim e Que Sinais Haverá do Fim do Mundo? Esta pergunta foi feita pelos discípulos do Senhor Jesus em Mateus 24:3 quando o Senhor proferiu um longo ensino sobre o final dos tempos. O fim de todas as coisas tem ocupado a mente do homem ao longo de sua existência. Haverá um fim? A Bíblia afirma que sim. Tanto o Antigo Testamento como o Novo Testamento apontam para um fim de todas as coisas. E este período do fim é marcado por acontecimentos espantosos especialmente a gloriosa Vinda do Senhor para arrebatar sua Igreja.

1. O fim previsto no Antigo Testamento
Isaías 46:9-13, Isaías 10:3, Malaquias 4:5, Joel 2, Daniel 12

2. O fim previsto no Novo Testamento
Mateus 13:39-49; 24:3; 28:20, João 12:48, Romanos 2:5, II Timóteo 1:12, Hebreus 10:25, I Tessalonicenses 5:2, II Pedro 3:10, II Coríntios 1:14
Há um número muito maior de passagens bíblicas que afirmam a Segunda Vinda de Cristo e também o fim de todas as coisas. É uma doutrina estabelecida nas Escrituras Sagradas.

1. Sinais do Fim Como já foi visto, o fim é amplamente anunciado nas Escrituras. Este tempo do fim será assinalado com sinais para a Igreja, para o mundo e também para a nação de Israel.

1.1 - A Cronologia do Fim
Podemos, para fins didáticos, alinhar os eventos do fim da seguinte forma:

Inicio do fim - com sinais espirituais proféticos e visíveis
Arrebatamento da Igreja
Segunda Vinda de Cristo
Sete Anos de Tribulação
Julgamentos - Prisão do Inimigo
O Milênio
Juízo Final - Salvação Eterna e Condenação Eterna - Galardões

1.2 - A lista de sinais apresentados em Mateus 24 - Principio das Dores

Falsos cristos - v. 4,5
Guerras e rumores de guerras - v. 6
Nações contra nações - v. 7
Calamidades de grandes proporções - Fome, pestes, terremotos - v. 7,8
Ódio irracional contra os salvos - v. 8
Muitos escândalos - v. 10
Deslealdade e ódio - v. 10
Aparecimento de falsos profetas - v. 11
Aumento inconteste do pecado - v. 12
Esfriamento do amor, esfriamento de alma, indiferença - v. 12
O Evangelho pregado em todo o mundo - v. 14
1.3 - A lista de sinais apresentados em Lucas 21 - Principio das Dores

Revoluções - v. 9
Coisas espantosas - v. 10
Grandes sinais no céu - v. 10
Perseguição, deslealdade e ódio - v. 12-19
Cerco de Jerusalém - v. 24
Sinais no sol e na lua - v. 25
Perplexidade pelo comportamento dos mares - v. 25
Medo cãs catástrofes astrofísicas - v. 26
Logo após esta exposição profética, o Senhor Jesus, como que alegrando os seus, declara:

Então verão vir o Filho do Homem vindo numa nuvem, com poder e grande gloria. Quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima. Lucas21.27,28
1.4 - A lista de sinais apresentados conforme II Tessalonicenses 2: 1-17

O preparo do mundo para o aparecimento do anticristo - v. 3
Uma apostasia - esfriamento da fé - v. 3
A entronização do anticristo no lugar Santo - v. 4

2. O Arrebatamento da Igreja Como já visto, o Arrebatamento se aproxima. Os sinais apresentados nas listas de Mateus 24, Lucas 21, II Tessalonicenses 2, e notoriamente no livro do Profeta Daniel indicam a proximidade deste evento espantoso e maravilhoso para os salvos.
É Importante destacar que tanto o Antigo Testamento como o Novo Testamento afirmam a Doutrina da Segunda Vinda de Cristo. Vejamos:

2.1 - Os Profetas testemunharam da Segunda Vinda
Zacarias 14:3-5, Malaquias 3:1

2.2 - João Batista testemunhou da Segunda Vinda
Lucas 3:3-6

2.3 - O Senhor Jesus testemunhou de sua Segunda Vinda
João 14:2-3

2.4 - Os Anjos testemunharam da Segunda Vinda
Atos 1:11

2.5 - Os Apóstolos testemunharam da Segunda Vinda
Mateus 24:37,42 e 44, Marcos 13:26, Lucas 21:27, I João 3:1-3, Tiago 5:7, I Pedro 1:7,13

3. Quando Será o Arrebatamento? Em todos os textos bíblicos sobre o Arrebatamento demonstra-se a necessidade da vigilância da Igreja e do próprio mundo. Os sinais destacam a proximidade da Segunda Vinda. A passagem de Mateus 25:1-13, das dez virgens, alerta para vigilância da Igreja.
A respeito de quando será é preciso destacar alguns pontos importantíssimos:

3.1 - Os crentes saberão discernir o tempo da Segunda Vinda
Ninguém saberá o dia e a hora, nem mesmo o Filho (Mateus 24:36), entretanto, o crente saberá perceber (discernir espiritualmente) que o seu Redentor se aproxima.

O exemplo de Moisés quando saiu do Egito
O exemplo de Eliseu que soube quando Elias seria arrebatado
O exemplo de Abraão quando soube antecipadamente o juízo de Sodoma e Gomorra
O exemplo de Noé quando soube se preparar para ficar salvo do juízo do dilúvio
Pela palavra do apóstolo Paulo em I Tessalonicenses 5:1-11

4. O Arrebatamento e a Grande Tribulação Cremos que o Arrebatamento se dará antes da Tribulação. Os textos de Romanos 5:9 e I Tessalonicenses 1:10, 5:9 afirmam que os crentes foram salvos da ira vindoura. A ira vindoura se refere ao período da Tribulação de sete anos. Quando o assunto é a separação eterna de Deus, que é a permanência do inferno, os termos para se referirem a tais fatos são "condenação eterna","segunda morte", etc. Portanto quando se refere à Tribulação os termos são sempre relacionados a "ira", "furor", "vingança do nosso Deus", etc. São termos que correspondem a acontecimentos na terra, não na eternidade. Os eventos da eternidade são a consumação de todas as coisas. Os eventos da terra são tratamentos de Deus com o mundo que rejeitou a Cristo e também com o falso profeta, a besta e o anticristo, e, sobretudo com o povo de Israel.

4.1 - Uma atenção especial a II Tessalonicenses 2:6-8
No verso 3 o apóstolo Paulo adverte que ninguém seja enganado quanto ao arrebatamento, que é o assunto de seu capítulo. O apóstolo afirma que a nossa reunião com Cristo, Arrebatamento, não se dará de modo algum sem que antes se manifeste o anticristo, este é um texto muito importante. Paulo também cita a apostasia como um sinal bem notório.
Conforme as sete igrejas da Ásia, em Apocalipse, a igreja de Filadélfia, a penúltima, apresenta o período do avivamento mundial, e a seguir vem à igreja de Laudicéia, que representa a igreja da apostasia, igreja indiferente, que não se define, nem é quente e nem é morna. Mas se acha muito completa e sem falta de coisa alguma. É uma igreja auto-enganada. Veremos isto mais adiante.
Mas Paulo diz que o Arrebatamento se dará logo após o período desta igreja apóstata e antes do aparecimento do anticristo. Paulo afirma também, verso 6 e 7, que o que detém o anticristo de se manifestar e começar seu governo iníquo é a Presença do Espírito Santo no mundo. Isto é espetacular e bem definitivo quando a seqüência dos acontecimentos escatológicos.
O que impede o anticristo de aparecer é o Espírito de Deus que está na Igreja, no mundo, ainda. De modo que o aparecimento do anticristo está relacionado com a saída do Espírito Santo, com a saída da Igreja. E Paulo declara que o anticristo se manifestará logo a seguir a saída daquele que o impede de agir. O que fica definitivamente estabelecido no verso 8 quando Paulo declara que será detido o iníquo até que o Espírito Santo seja afastado.
Portanto, a reunião dos salvos com Cristo se dará antes da Tribulação que é o período em que o anticristo será o governante mundial por sete anos.

4.2 - Uma atenção especial para Apocalipse 3:10
Este texto afirma de modo categórico que a Igreja do período representado pela Igreja da Filadélfia será guardada do tempo de prova que há de vir sobre a terra. Devemos notar que as sete Igrejas nada tem de relacionado a Israel. Não é a Israel que se refere esta benção de ser guardado do tempo da prova, a Tribulação, mas sim, aos salvos. É um texto magnífico.

4.3 - Uma atenção especial para Daniel 9:24
Setenta semanas foram seladas sobre teu povo. O anjo fez com que Daniel entendesse a visão, verso 23, se referiu ao povo de Daniel e a cidade de Daniel, Jerusalém. As Setenta Semanas é o período do fim e a Grande Tribulação. E o anjo instruiu Daniel de que estas semanas virão sobre o povo de Daniel. E a seguir passa a descrever o que o Messias, não estará mais no mundo, e um príncipe aparecerá, que é o anticristo, e desolará a cidade do povo de Daniel. É notório que o texto se refere a Israel e não a Igreja. É Israel e não a Igreja que passará pela Tribulação e também é Israel que fará aliança com o anticristo e não a Igreja. A Igreja não mais estará na terra. A Igreja verá o início da manifestação do anticristo, devido aos sinais, mas não estará de modo algum debaixo de seu iníquo governo mundial.
Devemos notar que uma coisa é afirmar que haverá pessoas da Igreja na Tribulação e outra coisa bem diferente é afirmar que a Igreja remida de Cristo passará pela Tribulação para ser provada.


5. A Segunda Vinda Será em Duas Etapas Já notamos como será o Arrebatamento. Agora veremos que a Segunda Vinda envolve o Arrebatamento e a Segunda Vinda propriamente dita. Isto é, o retorno de Nosso Senhor, se dará em duas etapas distintas.

5.1 - Primeira Etapa - O Arrebatamento da Igreja - I Tessalonicenses 4:13-18

Depois dos sinais, do princípio das dores, antes da Tribulação
Será para a Igreja
Não há sinais no céu e na terra
Não há advertência quanto ao anticristo
Os que já morreram em Cristo, virão com Ele - v. 14
Haverá grandes brados. Do Senhor e do Arcanjo - v. 16
A trombeta soará - v. 16
Ressurreição dos salvos - v. 16
Ressurgidos e vivos subirão e se reunirão com Cristo - v. 16
Subiremos nas nuvens - v. 17
Cristo não pisa na terra - tudo ocorre nos ares, nas nuvens
O mundo não o vê, é secreto
Somente os salvos o vêem, e sentem, são transformados e sobem - v. 17
Nada faz referência a Israel, somente a Igreja
5.2 - Segunda Etapa - Chamada Segunda Vinda - Mateus 24:15-35
Se dará logo após a Grande Tribulação. Está estritamente relacionada a Israel


A Segunda Vinda será para Israel - v. 32-34
É Cristo quem fala da Segunda Vinda - Enviado as ovelhas perdidas de Israel
Paulo falou sobre o Arrebatamento - pois era apóstolo dos gentios
Há sinais no mundo visível - v. 29
Será depois da Grande Tribulação - v. 29
Separará os escolhidos da Grande Tribulação - v. 31
Será uma vinda visível - todo olho o verá - v. 27,30
Será dia de grandes julgamentos - das nações, das pessoas e de satanás
As nações ficarão angustiadas - v. 30
Israel também será julgado
Logo após virá o Milênio - Mateus 25:31-34

O Céu e o Inferno Dentro da seqüência dos fatos escatológicos já observamos várias realidades. As duas etapas da Segunda Vinda do Senhor, a Grande Tribulação, o Armagedom, O Reino Milenar, os Julgamentos Gerais, o Juízo Final, e a condenação definitiva do diabo. Agora veremos a impressionante doutrina bíblica sobre estes dois lugares tão bem declarados nas Escrituras. O Céu e o Inferno. Nos deteremos primeiramente na doutrina bíblica sobre o Céu.


1. Uma visão panorâmica sobre os Céus Os céus foram criados por Deus. Esta é a primeira afirmação das Escrituras - Gênesis 1:1. Notemos que a palavra aparece no plural. Em o Novo Testamento a palavra grega usada para definir"céus" é URANOS que significa "céu" com três qualificações distintas.

1.1 - Céus como firmamento - Lucas 4:25, 9:54
É o céu que nossa vista alcança

1.2 - Céus Estrelados - Marcos 13:25
Este é o céus das estrelas, dos cometas, dos astros, da via Láctea.

1.3 - Céus como o Céu Superior - Mateus 5:34, Apocalipse 4:1-11
Este é o céu elevado, longe da vista humana por todos os meios. É a morada do Senhor. É a morada do Deus Altíssimo - Números 24:16, Salmos 9:2, Lucas 1:32. Este é o ARAVOT, entre os judeus, que quer dizer "Os Céus do Senhor".


2. Os Céus do Senhor também será os céus dos salvos Em João 14:1-3, o Senhor Jesus declarou que a Morada do Pai é também o lugar preparado para os filhos. Após a consumação de todas as coisas os filhos finalmente entrarão no descanso eterno, na Cidade Santa, a Nova Jerusalém. Os filhos definitivamente receberão a herança.
Tiago 2:5, Gálatas 4:7, Romanos 8:14, Colossenses 1:5, Filipenses 3:20, Efésios 4:10, 1:20, Mateus 28:28, Mateus 25:32-34


3. A Vida no Céu Nunca devemos perder de vista que a doutrina bíblica sobre o céu ensina que o céu é um lugar. Como também que o céu é um estado de coisas. Uma condição de vida, de vida gloriosa. Vejamos algumas características da morada dos salvos.


Será uma vida na presença do Pai, do Filho e do Espírito Santo
Será uma vida com um novo corpo - I Coríntios 15:40, 47, 50, 54
Será uma vida com valores morais - Apocalipse 21:18
Será uma vida com pureza absoluta - Apocalipse 6:11
Será uma vida com galardões - Apocalipse 4:10; 19:12, Mateus 25:14-30
Será uma vida de pleno conhecimento espiritual - I Coríntios 1:8-10
Será uma vida de felicidade completa - Apocalipse 21:3-8
Será uma vida de adoração e serviço espiritual - Apocalipse 22:3-4; 21:4, 22
Será uma vida de perfeita comunhão com Deus - Hebreus 12:22-23, Apocalipse 7:4-11
Será de absoluta santidade de caráter - Apocalipse 3:5; 21:27
Será uma vida de constante adoração - Apocalipse 15:3; 5:9-12
Será uma vida eterna - Mateus 25:46

O CÉU DO SENHOR É UM LINDO LUGAR. UM LUGAR DE BÊNÇÃOS INDIZÍVEIS

O Inferno Em contrateste ao Céu existe o Inferno. Após a consumação de todas as coisas, de todos os eventos escatológicos, este terrível lugar será inaugurado.

4. A existência do inferno é afirmada:

4.1 - Nas palavras do Senhor Jesus
Mateus 5:22,29-30, 10:28, 23:15,33, 13:42, 8:12, 22:13 e 25:30
Marcos 9:43,45 e 47
Lucas 12:5

4.2 - Nas palavras de Tiago
Tiago 3:6

4.3 - Nas palavras de João
Apocalipse 20:10,14-15
A Bíblia nunca deixou de afirmar a realidade do inferno. O ensino escatológico sobre o inferno é que se trata de um lugar. Um lugar específico. Um lugar de severa punição. Um local hediondo capaz de causar tormento ao próprio diabo e aos seus anjos.

5. O propósito do Inferno5.1 - Criado para o diabo e seus anjos - Mateus 25:4
5.2 - Punir a rebelião contra Deus e Sua Palavra

6. Os habitantes do inferno6.1 - Primeiramente a seres espirituais da maldade - Apocalipse 19:10
6.2 - Também pessoas que se opuseram a Deus, Sua Palavra e Seu Cristo - Romanos 6:23, Mateus 24:41-46, 18:8, Romanos 2:7, II Tessalonicenses 1:9, Judas 7, I João 5:11-12
6.3 - Também pessoas que não estão inscritas no Livro da Vida - Apocalipse 20:15

7. Características Gerais do Inferno7.1 - É um lugar específico e real
7.2 - É um lugar onde o fogo nunca se apaga - Marcos 9:43-44
7.3 - É um lugar onde o verme não morre - Marcos 9:43-44
7.4 - É um lugar de choro e ranger de dentes - Mateus 13:42
7.5 - É um lugar de sofrimento eterno.

Autor: Pastor Isac de Souza